Vandalismo: Frota de ônibus é desfalcada e enfrenta grandes dificuldades para operação

Mobilidade é prejudicada e ônibus são vandalizados e bloqueados com paralisação ilegal
19 de fevereiro de 2021
Decisão do Tribunal Regional do Trabalho proíbe paralisação dos rodoviários
19 de fevereiro de 2021

Nota Setransp 19/02 – 1730h

Mais de 40% da frota de ônibus do serviço de transporte público coletivo de Aracaju e da região metropolitana foi desfalcada e os quase 60% que está operando enfrenta grandes entraves para continuar atendendo à população. Os motoristas estão evitando locais do itinerário das linhas de pontos de maior concentração dos manifestantes, para resguardar os próprios passageiros. Manifestantes em motos estão abordando os veículos em circulação com ameaças impedindo de seguirem viagem.

Muitos ônibus foram vandalizados, tendo os pneus rasgados e vidros quebrados, inclusive os alguns da frota reserva e outros que haviam passado por reparos, após a primeira ação de manifestantes que participam de Assembleia com o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sinttra). O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp) informa que todos os esforços estão sendo movidos para que o serviço de transporte não seja interrompido e recrimina os danos que estão sendo causados à população, à mobilidade urbana e ao serviço de transporte.

O prejuízo dos atos desta sexta-feira, 19, infelizmente, afetam não apenas hoje a prestação do serviço, mas devem trazer consequências para os próximos dias quanto ao desfalque na frota. A Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT) está acompanhando toda a situação e dando as orientações necessárias.

Medida judicial

As empresas de ônibus permanecem com o diálogo aberto com o Sinttra no intuito de buscar as melhores alternativas para as demandas dos rodoviários, do mesmo modo que tem priorizado mover todos os esforços para garantir a manutenção dos postos de trabalho. Todavia, o Setransp afirma ainda que não existe nenhuma pendência junto à categoria, a data base da Convenção Coletiva é 1º de março, então essa manifestação, sem qualquer prévio aviso, não tem respaldo legal. Desta forma, o sindicato está avaliando a possibilidade de acionar judicialmente os responsáveis por esse transtorno causado à população.

Dificuldades econômicas

O setor de transporte tem lidado com um grande déficit econômico há alguns anos, agravado pela pandemia da Covid-19. Só em 2020, o setor sofreu uma queda no número de passageiros de aproximadamente 45,9% resultando em uma perda significativa de receita. Somado a isso, ainda há o novo aumento nos custos do serviço com a alta do preço do diesel superior a 15%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *