Transporte bloqueado: Setransp avalia acionar judicialmente responsáveis pelo transtorno aos passageiros

Nota sobre tratativas com o Sinttra
18 de fevereiro de 2021
Mobilidade é prejudicada e ônibus são vandalizados e bloqueados com paralisação ilegal
19 de fevereiro de 2021

Nota Setransp 19/02 – 11h

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp) informa que todos os esforços e estão sendo movidos para que o serviço de transporte público coletivo de Aracaju e da região metropolitana não seja ainda mais afetado nesta sexta-feira, 19, após a ação de manifestantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sinttra) impedindo a circulação de alguns ônibus.

Durante esta manhã, manifestante fecharam as Avenidas Barão de Maruim, Rio Branco, Adelia Franco, Terminal do Mercado e furaram pneus dos ônibus que estavam circulando no local. Contudo, apesar do serviço ter sido desfalcado com os veículos paralisados, as empresas de ônibus estão providenciando suporte com o uso da frota reserva e, neste momentos, as linhas do transporte público coletivo seguem circulando com bastante dificuldade.

O Setransp lamenta o prejuízo na interrupção do deslocamento dos passageiros e os danos causados à frota de ônibus, afetando toda a mobilidade urbana. As empresas de ônibus permanecem com o diálogo aberto com o Sinttra no intuito de buscar as melhores alternativas para as demandas dos rodoviários, do mesmo modo que tem priorizado mover todos os esforços para garantir a manutenção dos postos de trabalho.

Todavia, o Setransp afirma ainda que não existe nenhuma pendência junto à categoria, a data base da Convenção Coletiva é 1º de março, então essa manifestação, sem qualquer prévio aviso, não tem respaldo legal. Desta forma, o sindicato está avaliando a possibilidade de acionar judicialmente os responsáveis por esse transtorno causado à população.

O setor de transporte tem lidado com um grande déficit econômico há alguns anos, agravado pela pandemia da Covid-19. Só em 2020, o setor sofreu uma queda no número de passageiros de aproximadamente 45,9% resultando em uma perda de quase R$ 100 milhões. Somado a isso, ainda há o novo aumento nos custos do serviço com a alta do preço do diesel superior a 15%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *