Setransp afirma que Cittamobi pode ajudar passageiros a evitarem deslocamento em horários de pico

Queda de passageiros gera sérias consequências para sistema de transporte coletivo
27 de janeiro de 2021
Líquido serve de simulação da contaminação do Coronavírus através do dinheiro
3 de fevereiro de 2021

Transporte Coletivo move esforços para manter atendimento mesmo com dura queda de demanda

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp) destaca que mesmo com todos os desafios ocasionados com a pandemia, que gerou uma grande queda do número de passageiros e receita, a prestação do serviço de transporte público coletivo em Aracaju e região metropolitana continua a ser reforçada com uma oferta de frota de ônibus bem maior proporcionalmente que a demanda com acréscimo de veículos em horários de pico.

Todavia, é importante que os passageiros busquem horários fora pico para se deslocarem, para evitar engarrafamentos. E, para isso, podem contar com o aplicativo Cittamobi, para se programarem de acordo com os horários das linhas acompanhando pelo GPS o trajeto e tempo de chegada do seu ônibus.

O sistema de transporte público coletivo de Aracaju chegou a sofrer uma dura redução de, aproximadamente, 72% dos usuários no ápice da pandemia em 2020, uma perda de receita do sistema de quase R$ 100 milhões. Um impacto de impossível absorção para o setor de transporte. Afinal, mesmo com a danosa redução no número de passageiros, os custos das empresas permaneceram, tendo apenas a tarifa como forma de custeio.

E agora em janeiro, a queda de usuários ainda segue continua acentuada. Nos dez primeiros dias de 2021, a redução do número de passageiros foi de 43,8% comparando com o mesmo período de 2020, sendo a média diária de utilizações inferior a 100 mil/ dia, enquanto que em 2020 era de quase 200 mil/dia.

Mesmo com todas as dificuldades que o transporte público coletivo segue enfrentando, desde o começo da pandemia da Covid-19, o sistema tem mantido as ações de combate ao Coronavírus, tem transportado passageiros em demanda muito inferior à capacitação de operação, ofertando um número de veículos nas ruas bastante superior à demanda e ainda movendo esforços para manter os postos de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *