Em dez dias, 16 ônibus foram alvos de vandalismo

Empresas de ônibus fazem mobilização contra o Aedes Aegypti
14 de dezembro de 2015
Empresas de ônibus conscientizam passageiros contra o Aedes Aegypti
18 de dezembro de 2015

Transporte público tem sido gravemente penalizado, e passageiros também sofrem com isso

Os atos de vandalismo já estão se tornando rotina na grande Aracaju. Somente nos primeiros 10 dias do mês de dezembro deste ano foram danificados 16 ônibus, e os casos continuam diariamente. São casos de arremesso de pedras, que quebram os vidros e podem atingir os passageiros. Essas ações, além de colocarem em risco os usuários e funcionários do transporte coletivo, deixam os veículos inutilizados por alguns dias, lesando a própria população e onerando o custo do serviço do transporte.

De acordo, com o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp), Alberto Almeida, o vandalismo gera dois grandes prejuízos, primeiro o financeiro, que as empresas têm suportado, e a qualidade do serviço. Porque cada ônibus vandalizado passa em média de três a dez dias retidos até tenha sido feito o reparo dependendo dos itens destruídos, já que alguns são mais difíceis de reposição. E pelo volume dos casos que estão acontecendo, a frota reserva pode chegar a não dar conta do serviço preventivo.

Além dos ônibus, os terminais de integração e postos de recargas do transporte público têm sido vandalizados também, muitas vezes até no dia seguinte das reformas dos locais. O presidente do Setransp declarou seu pesar sobre essas ocorrências constantes: “enquanto o sistema atua na recuperação  dos terminais de integração, na manutenção dos postos de recarga e na renovação da frota de ônibus para melhor atender a população, somos surpreendidos corriqueiramente com atos de vandalismo contra o patrimônio público. Os executantes desse ato estão indo na contramão das ações de melhorias que o setor do transporte está se empenhando em promover, e acabam afetando diretamente a população que precisa do serviço do transporte para o acesso aos demais serviços essenciais no seu dia-a-dia”, frisou Alberto Almeida.

Para a enfermeira, Léa Melo, que faz uso do transporte coletivo diariamente, a ação dos vândalos afeta até a rotina dos cidadãos que utilizam os ônibus. “O sistema de transporte público está para servir à população, com sua destruição e má utilização acaba ocorrendo à diminuição da frota, pois os ônibus destruídos vão para o reparo, gerando assim um atraso nos horários pré-determinados de circulação e, consequentemente, atrasos para os usuários chegarem tanto em seus locais de trabalho quanto em suas casas, causando transtornos de modo geral”, disse ela.

Os comentários estão encerrados.

ATENÇÃO!!!

Clique aqui para acessar o site da Aracajucard