Palestra tira dúvidas sobre gestão do VT

Um em três acidentes envolve motos
11 de maio de 2012
Seis linhas mudam de curso
14 de maio de 2012

As dúvidas que os empresários ainda possuem acerca da gestão do vale-transporte foram debatidas no início da tarde de hoje, 11, durante o Almoço com Negócios promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe – Acese -, no Hotel Mercury.

Essa foi a terceira edição do evento e teve como palestrante o superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju – Setransp – José Carlos Amâncio. “A gestão do vale-transporte varia de acordo com cada empresa. Atualmente existem mecanismos para o empregador determinar de que modo o seu colaborador irá utilizar o benefício que, por lei, garante o exclusivo deslocamento do trabalhador nos trajetos casa-trabalho-casa”, frisou Amâncio.

O superintendente do Setransp lembrou ainda que o cartão Mais Aracaju Vale-Transporte não é propriedade da empresa, mas do trabalhador. “Uma vez os créditos inseridos no cartão não há como estorná-los. Assim como, nos casos de demissão do funcionário, o cartão não pode ser retido pelo empregador. O cartão é pessoal e intransferível e é utilizado independente do local que o seu portador esteja trabalhando”, esclareceu ele.

Durante a palestra, também foi discutida a possibilidade do empregador fazer apenas o complemento da recarga nos casos que os créditos inseridos no mês anterior não sejam utilizados em sua totalidade. No entanto, essa possibilidade não é claramente definida pela Lei do Vale-Transporte, a 7.418/85. “No entanto, atualmente, é possível as empresas limitarem o uso diário de vales, assim como os horários de utilização”, avisou o superintendente do Setransp.

 

Atendimento personalizado

Para orientar as empresas sobre tais possibilidades de gestão, o Setransp, disponibiliza, na sua sede, equipes de negócios especialmente treinadas para prestar atendimento empresarial. A eficiência de tal auxílio foi comprovada pelo empresário Euzevir Cavalcante. “O Setransp tem uma equipe muito boa e competente que nos deu todo o suporte necessário para a transição dos tíquetes em papel do vale-transporte para os créditos eletrônicos. Posso dizer que antes a compra de vales era um pesadelo para nós. Hoje, a bilhetagem eletrônica é um sonho realizado”, declarou ele.

Os comentários estão encerrados.

ATENÇÃO!!!

Clique aqui para acessar o site da Aracajucard