Superintendente do Setransp recebe Prêmio Abdias Nascimento

Prazo de validade do cartão Especial antigo é prorrogado
18 de novembro de 2011
Mobilização homenageia vítimas de trânsito
18 de novembro de 2011

Na manhã de ontem, dia 17, 50 personalidades negras foram agraciadas com o Prêmio Abdias Nascimento. A iniciativa foi da deputada Conceição Vieira, mas, dada a relevância do evento, acabou sendo abraçada por demais membros da Assembleia Legislativa.

A sessão especial começou com a apresentação da banda do Corpo de Bombeiros e do coral da Alese. Logo após, ocorreu o pronunciamento da deputada Conceição Vieira. “Estamos homenageando nomes que se destacaram na sociedade e promoveram avanços na luta dos afrodescendentes por igualdade. Ainda faltam muitos espaços a serem ocupados, mas também já fizemos muitos avanços. Essa homenagem é simples e fui buscar num negro de São Paulo os motivos para este prêmio. Abdias Nascimento foi um estadista que influenciou o surgimento de movimentos negro e entidades de grande importância como a Fundação Palmares. Com o exemplo dele estamos construindo uma sociedade melhor, inclusiva”, destacou ela.

Entre os homenageados estava o superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju – Setransp –, José Carlos Amâncio. Sua história de vitórias e sucesso profissional motivaram a honrosa distinção. “Sinto-me lisonjeado com a escolha do meu nome e agradeço muito à deputada Conceição Vieira e à Assembleia Legislativa por tão importante condecoração. Todas as iniciativas que ressaltem as conquistas e exaltem a auto-estima do povo negro são valiosas”, declarou Amâncio ao ser comunicado da homenagem.

O superintendente, no entanto, por estar fora do estado na data da solenidade, não pode comparecer ao evento, sendo representado pela assessora de Comunicação do Setransp, Alessandra Franco.

 

Breve história

José Carlos Amâncio é natural de Cataguazes (MG). É economista formado pela Universidade Gama Filho (RJ). Também cursou Engenharia Econômica e Custo Industrial na Fundação Getúlio Vargas.

Uma de suas primeiras atuações profissionais foi na área Administrativa das Casas Sendas, em Minas Gerais; em seguida, empregou-se no Banco da Bahia de Investimentos. Em Cataguazes, foi analista de custos na Indústria Química. Logo depois ingressou no pólo petroquímico de Camaçari como economista.

Não demorou muito e passou a atuar como consultor empresarial, ofício ao qual se dedicou com exclusividade durante anos até ser convidado a trabalhar no Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Maceió. Lá começou seu promissor envolvimento com o ramo de transporte, encabeçando projetos ousados como a implantação do sistema de monitoramento de frota e a bilhetagem eletrônica. Paralelamente, atuava como consultor também em Natal e Campina Grande, também na área de transporte.

Em dezembro de 2002, foi convidado a assumir a superintendência do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju – Setransp –, onde vem desempenhando até os dias de hoje um trabalho de grande relevância para a cidade.

Foi ele quem ajudou a transformar o transporte público da capital sergipana, implantando a bilhetagem eletrônica e o sistema de identificação biométrica, o que trouxe modernidade e informatização para o serviço.

Os comentários estão encerrados.