Setransp apoia evento que homenageia vítimas de trânsito

Hoje, postos do IFS e UFS não funcionam
11 de novembro de 2011
Transporte Tropical entrega dez novos ônibus
16 de novembro de 2011

Para despertar na sociedade o que os acidentes de trânsito provocam na vida das pessoas, o ‘Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito', comemorado internacionalmente no próximo dia 21, será lembrado em Aracaju. O Comitê Municipal de Mobilização pela Saúde, Segurança e Paz no Trânsito (Comsepat) está à frente da homenagem aos 75 vitimados este ano na capital sergipana.

Na manhã desta segunda-feira, 14, representantes do grupo se reuniram no auditório da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) para definir a programação especial e finalizar os últimos ajustes para o dia.

A campanha de corpo a corpo acontece a partir das 6h30, na rotatória da Beira Mar, que dá acesso à Avenida Delmiro Gouveia. Segundo o diretor de trânsito da SMTT, major Paulo César Paiva, a população irá ficar sensibilizada com a ação programada.

Dá para adiantar que queremos pessoalizar cada morte ocorrida neste ano em Aracaju e que será na rotatória do Caju, logo cedo, no dia 21.Precisamos fazer com que as pessoas enxerguem essa estatística com outra perspectiva, marcando na vida, mostrando que acidentes podem e devem ser evitados por cada um, coloca Paiva.

Para a tarde, a Secretaria Municipal de Saúde já confirmou a palestra do especialista em segurança no trânsito, Eduardo Biavati, mestre em Sociologia e membro titular da Câmara Temática de Educação e Cidadania do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) que a SMTT trouxe no dia 23 de maio, quando o Comsepat foi oficialmente instalado em Aracaju. O momento acontecerá às 14h, no auditório do Hotel Mercure.

 

Adesão

Como forma de envolver os religiosos e entidades relacionadas, a partir das 16h do dia 21, está programada a liturgia da palavra ecumênica aos feridos do trânsito na urgência do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), com Dom Henrique e representantes evangélicos.

Este é um dos princípios cristãos: a visita aos doentes. Dessa forma, a sociedade pode entender como o número de vitimados pela violência no trânsito é expressivo e praticamente toma conta dos leitos no hospital público, pontua o superintendente Antonio Samarone.

Para compor a ação, o Comsepat convida toda a sociedade para aderir às homenagens. Uma forma simbólica para tal é o uso de camisa branca no dia 21 com uma tarja preta no braço para representar a paz no trânsito e o luto àqueles que se foram violentamente.

 

Ação em conjunto

Está marcado para o próximo dia 16 uma reunião com os familiares de vítimas na SMTT. A iniciativa é para auxiliá-los a montar uma associação. Precisamos de força e quando um grupo fala é diferente do que apenas um. Fomos vítimas desta violência e queremos mudar o cenário em Aracaju. Não há motivo para ficarmos parados, lembra o estudante Rafael Henrique, que foi alvo de um veículo na Beira Mar, em 29 de março.

Não corremos nem atrás de valor financeiro, porque nada irá retomar a minha saúde que antes era perfeita. Enquanto eu estiver viva, vou recorrer e buscar a justiça. O acidente hoje é plano de fundo da minha vida. Nunca esquecerei, estou marcada para o resto da vida, relata Margareth Silva de Carvalho, que foi alvo de um carro em 28 de novembro de 2009 quando estava no restaurante Pitu com Pirão da Eliane, localizado na Orla de Atalaia.

 

Cidadania

Para a delegada de delitos de trânsito, Georlize Teles, se a sociedade não conseguir pautar o trânsito como cidadania ao outro, as estatísticas não serão minimizadas. Sempre dizem que o ‘trânsito mata', mas quem é ‘ele que mata'? Quem está matando somos nós! A família tem uma sensação cômoda ao dizer que foi o trânsito, mas o processo de cidadania não pode ser invertido, é de se indignar! O direito de ir e vir de cada um existe e deve ser preservado, coloca a delegada, dando relevância à associação dos vitimados que está para surgir.

Fonte: Ascom/SMTT

Os comentários estão encerrados.