BRT tem reduzido congestionamento em grandes cidades

Usuários dos cartões eletrônicos ganham acesso rápido nos Terminais
2 de agosto de 2011
Aumenta número de casos de invalidez por acidente no Brasil
3 de agosto de 2011

Em localidades como Curitiba e São Paulo, no Brasil; Bogotá e Cali, na Colômbia, Santiago, no Chile; Johannesburgo, na África do Sul, e no Panamá, o sistema BRT (Bus Rapid Transit) tem sido um auxiliar eficiente na redução de trânsito, na medida em que torna o transporte coletivo seja mais rápido, acessível e confortável. “Com custo e prazo de instalação muito menores que outros modais, permitiu a redução do número de automóveis na rua e melhorou o trânsito, além de contribuir para a preservação ambiental, com a redução da emissão de poluentes. Outra vantagem é a elevação na qualidade de vida dos usuários pela redução do tempo de viagem”, avalia o diretor-geral da Marcopolo, José Rubens de la Rosa.


Nos últimos anos, o uso do transporte individual nas regiões metropolitanos do País aumentou cerca de 20%. De acordo com estudos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o tempo de deslocamento casa-trabalho da população subiu aproximadamente 6%, entre 1992 e 2008. Os sistemas de mobilidade de baixa qualidade e alto custo adotado pelas cidades e o aumento da frota de automóveis, aliados à sua baixa taxa de utilização (apenas 1,2 pessoa/carro), provocaram lentidão ainda maior do trânsito.


A principal razão para a formação desse quadro foi a ausência de políticas de priorização do transporte público. “Para amenizar a degradação das condições de trânsito de forma eficiente, uma das saídas é a utilização de sistemas como o BRT, em que ônibus com elevada capacidade de passageiros trafegam em pistas exclusivas nas principais vias da cidade”, explica De la Rosa.


A previsão é de que até 2013 sejam investidos cerca de R$ 6 bilhões em sistemas BRT em diversos municípios brasileiros. Apesar de várias cidades já terem implantado parcialmente o sistema, ele ainda precisa de melhorias, pois não funciona de forma completa e integrada, com segregação da via para ônibus, pagamento da passagem antecipada, entrada de passageiros em estações, controle informatizado do corredor/linha e informação em tempo real ao passageiro. Tais medidas aumentariam a velocidade média da viagem, o conforto e a segurança para os usuários.

Fonte: Redação WebPesados   

Os comentários estão encerrados.

ATENÇÃO!!!

Clique aqui para acessar o site da Aracajucard