Alagoanos não acreditam que licitação solucione problemas

De ônibus, para ir mais rápido
22 de junho de 2011
Salvador terá combinação metrô – BRT
27 de junho de 2011

Às vésperas da primeira audiência pública que servirá de base para a elaboração do edital da primeira licitação pública do transporte coletivo urbano (acontece no dia 8 de julho), mais 75% dos internautas questionados pelo Alagoas 24 Horas não acreditam que apenas licitação irá resolver a questão do transporte coletivo na capital alagoana.

A enquete proposta pelo site perguntava se a população acreditava que a licitação resolveria o problema do transporte coletivo em Maceió. De acordo com 75,3% dos internautas, apenas a licitação não é a solução, contra 24,7%, que defendem ser este o caminho para a resolução do problema.

Descrédito à parte, a licitação deverá ser um marco para a engenharia de trânsito da capital e para os serviços prestados à população. Após inúmeras denúncias de irregularidade, favorecimento de empresas em meio a financiamento de campanhas políticas, as audiências públicas – onde qualquer cidadão pode apresentar sei pleito – deverá servir de ‘norte’ para o edital.

O projeto de lei que determina a realização da licitação já foi sancionada pelo prefeito Cícero Almeida (PP) após determinação judicial, por meio de ação interposta pela Vara da Fazenda Pública Municipal do Ministério Público Estadual.

Entre os aspectos levantados pelos internautas que não acreditam na solução dos problemas está o grande número de veículos em circulação na cidade e a escassez de vias que permitam o escoamento do fluxo de veículos. Entre os internautas, os principais questionamentos dizem respeito a ineficiência do transporte de massa, a inexistência de terminais de transbordo, entre outros questões.

Na prática, a licitação é apontada – pelos internautas – como a possibilidade de renovação da frota e a criação de linhas até então inexistentes. Contudo, todas estas questões devem ser debatidas na audiência pública, que acontece no próximo mês.

Fonte: Alagoas 24 Horas

Os comentários estão encerrados.