Delegada faz palestra para motoristas e cobradores

Um modelo de sucesso em mobilidade urbana
5 de julho de 2010
SETRANSP faz festa para aniversariantes de maio
5 de julho de 2010

A Viação Progresso e a Transporte Tropical realizaram, durante todo o dia de hoje, 1° de junho, no auditório do Sest/Senat, mais uma ação voltada para a qualificação de motoristas e cobradores no que diz respeito ao bom atendimento dos usuários do transporte coletivo, com ênfase nos portadores de deficiência física, idosos, gestantes e demais integrantes de grupos vulneráveis.

Divididos em duas turmas, uma realizada pela manhã e outra no período da tarde, os colaboradores das empresas assistiram à palestra na qual a delegada Georlize Teles, titular da Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis deu informações sobre como os profissionais podem evitar processos acionados por crimes de injúria (ofender verbalmente, por escrito ou até fisicamente, a dignidade ou o decoro de alguém, ofendendo a moral, abatendo o ânimo da vítima), muito comuns em ofícios que lidam com o público.

Ela também deu dicas de procedimentos práticos para casos nos quais o usuário falta com o respeito com os profissionais. “É preciso ter bom senso para lidar com o público. Sabemos que existem casos em que o passageiro provoca até que o motorista perca a cabeça. Porém, temos que lembrar que a nossa educação não deve depender do outro, ou seja, não posso ser agressivo porque o outro está sendo”, aconselhou Georlize.

A delegada aproveitou o momento para destacar a importância de se trabalhar com seriedade e profissionalismo. “Você pode até não estar na profissão que sonhava estar, mas deve exercê-la com dignidade. No dia a dia encontramos pessoas de má índole, mas não podemos embasar nosso comportamento por esse tipo de gente”, destacou ela.

Com 20 anos dedicados à Polícia Civil, Georlize lembrou que, no início da sua carreira, enfrentou muitas dificuldades devido a imagem que o senso comum faz da profissão.  “Quando comecei não era respeitada. Foi o meu trabalho, a minha postura que mudou essa visão. Do mesmo modo, motorista de ônibus é muito criticado. Vocês têm que fazer diferente justamente para não alimentar esse discurso”, exemplificou Georlize.

A delegada sugeriu ainda que os motoristas e cobradores, ao se verem envolvidos em uma situação delicada com um passageiro, procurem ficar atentos às pessoas que estão no ônibus que possam servir de testemunhas em casos de processos, punições ou multas. “Tem sempre alguém disposto a ajudar livrar alguém de uma injustiça”, disse ela.

Georlize também chamou a atenção para o fato de não ser nenhuma ofensa pedir a carteira de identidade ao usuário do transporte coletivo que faz uso da gratuidade. “Não cabe processo uma atitude como essa. Até mesmo porque tem pessoas que têm cabelo branco, mas não atingiram os 65 anos. Ainda assim, tentam não pagar passagem”, explicou ela.
 

Os comentários estão encerrados.