Judiciário derruba gratuidades em Rondonópolis
24 de fevereiro de 2010
Empresas brasileiras mudam transporte da Guatemala
1 de março de 2010

O Grupo Bomfim comemorou, ontem, dia 24, seus 50 anos de fundação com uma missa em ação de graças. O evento aconteceu na sede da empresa, localizada na Rua Roberto de Moraes, 91, no bairro Santos Dumont, às 18h30.

Na ocasião, José Lauro Menezes, precussor do Grupo Bomfim, a esposa Gilza Menezes, os filhos Laurinho Menezes, Ana Suely Vieira, Ana Lúcia Farhat e Ana Cristina Menezes receberam os amigos, clientes, fornecedores e colaboradores para uma solenidade que recordou a trajetória do Grupo que se tornou referência no ramo do transporte no país.

UM POUCO DA HISTÓRIA DA BOMFIM

No início, a Empresa Senhor do Bomfim – hoje apenas Bomfim – realizava apenas três as linhas: Aracaju/Propriá, Aracaju/Neópolis e Aracaju/Brejo Grande. Poucos meses depois de passar às mãos de José Lauro Menezes, a Bomfim decretou o fim da era das marinetes ao adquirir três ônibus mais modernos, com bagageiro na parte inferior e poltronas reclináveis. No mesmo ano, incorporou as linhas do eixo Aracaju/Salvador com a aquisição da Jordão, empresa que, até então, era a titular das linhas.

Em 1961, incorporou a Expresso Santo Antônio, que circulava para os municípios de Itabaianinha e Tobias Barreto. Em seguida, veio a Viação Nossa Senhora das Graças de Itabaiana e, posteriormente, a empresa São Paulo, da cidade de Frei Paulo, que operava linhas com destino às cidades de Jeremoabo e Paulo Afonso. Na Bahia, em 1963, aconteceu a investida mais ousada, incorporando a O. Macêdo, que dispunha de 27 viaturas.

No ano de 1967, antes do surgimento das BR’s, a empresa inaugurou o serviço leito em Sergipe. Foi responsável pela implantação dos primeiros ônibus com toalete. Além do conforto dos passageiros, a empresa sempre se preocupou com o cumprimento de seus itinerários. Para isso, colocou ao longo das estradas seis tratores que rompiam qualquer barreira: buracos, atoleiros e troncos de árvores caídos, eram as mais comuns.

Em 1969, a pavimentação asfáltica da BR-101, cortou Sergipe de ponta a ponta. Nessa época, as fábricas automotivas, prognosticando o aquecimento do mercado, começaram a investir na produção de ônibus mais modernos. O cenário do segmento em transporte coletivos se transformou radicalmente. A Bomfim, àquela altura, já despontava como uma das mais proeminentes empresas do nordeste, fazendo o transporte para municípios de todo o estado de Sergipe, além de operar linhas para Bahia e Alagoas. De 10 funcionários, em 1960, a empresa passou a reunir 515 em 1969.

Também em 69, o então prefeito de Aracaju, o economista Aloísio de Campos, decidiu abrir concorrência pública para a exploração do transporte urbano, tendo em vista a substituição do deficitário sistema kombi auto-lotação. Nesse momento nasceu a Bomfim Urbana, primeiramente operando com 20 ônibus, mas logo passando a 80 veículos.

Em 1977, é implantado o primeiro serviço executivo. Nascia a geração de ônibus que culminou com o surgimento do top class (os ônibus top de linha, que prestam um serviço cinco estrelas, símbolo do padrão de qualidade Bomfim). Um ano depois, José Lauro fundou a Viação São Pedro, empresa destinada ao transporte urbano de Aracaju e que mais tarde partiu para atuar, também, em Salvador. A partir daí, a Bomfim iniciou um processo de diversificação de seus serviços, passando a atuar em outros segmentos do setor de transportes, como cargas, turismo e renovação de pneus, constituído-se em uma holding.

Os comentários estão encerrados.