Brasília declara guerra aos clandestinos

Presidente do SETRANSP rebate denúncias
15 de janeiro de 2009
Posto de recarga da UFS entra em recesso
23 de janeiro de 2009

O Governo do Distrito Federal (GDF) começou o ano jogando pesado com os motoristas que insistem em fazer transporte clandestino de passageiros. Do dia 1° até ontem, os órgãos de fiscalização apreenderam 63 veículos envolvidos nesse tipo de irregularidade.


Somente ontem, 21 motoristas foram flagrados fazendo pirataria. A blitz foi montada na BR-070, na saída para Águas Lindas (GO), e envolveu três órgãos: TRANSPORTE URBANO do Distrito Federal (DFTrans), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT).

 

Os carros foram levados para o depósito do Departamento de Trânsito (Detran), na Asa Norte.

Os donos só poderão retirá-los mediante pagamento da multa, que varia de R$ 2 mil a R$ 5 mil. De acordo com o chefe de Fiscalização do DFTrans, Pedro Jorge Oliveira, as operações nas estradas que ligam o DF ao Entorno serão intensificadas neste ano.

 

 

Desde dezembro, temos monitorado o movimento desses motoristas e observamos que a maioria reside no Entorno. Eles vêm para o Plano Piloto fazendo lotação, passam o dia transportando passageiros irregularmente na zona central de Brasília e depois voltam fazendo a mesma coisa, diz Oliveira.


De janeiro a novembro de 2008, 4.423 veículos foram apreendidos por causa da pirataria. Desses, 3.461 eram carros de passeio, 176 ônibus, um microônibus, duas kombis e 783 vans. Em setembro e outubro do ano passado, o Jornal de Brasília publicou uma série de reportagens denunciando a ação dos motoristas de transporte clandestino no DF.

 

A equipe do JBr mostrou a organização dos infratores na Rodoviária do Plano Piloto, onde, segundo o DFTrans, cerca de 25% dos motoristas de piratas eram ex-permissionários do Sistema de Transporte Alternativo (STPA). Na Rodoviária de Taguatinga, o transporte irregular também corria solto. O secretário de Transportes, Alberto Fraga, diz que os piratas continuarão a ser tratados com rigor e pede que a população ajude a combatê-los.

 

Fonte: Jornal de Brasília, 22/01/2009 

Os comentários estão encerrados.

ATENÇÃO!!!

Clique aqui para acessar o site da Aracajucard