Caos no setor do transporte é reflexo do congelamento da tarifa

Congelamento da tarifa prejudica andamento do setor do transporte
7 de novembro de 2012
Começa o recadastramento para os alunos das instituições federais
12 de novembro de 2012

Trabalhadores das empresas VCA (Viação Cidade de Aracaju) e São Cristóvão paralisaram as atividades durante a manhã desta quarta-feira, 07, questionando o atraso nos pagamentos. De acordo com o superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp), José Carlos Amancio, a situação já era, infelizmente, esperada, diante dos últimos dois anos sem reajuste da tarifa de ônibus, que já vinha em desacordo com a planilha de custos para o serviço.

 

Esse caos já tinha se instalado, desde quando o setor, mesmo sem o reajuste tarifário, concedeu reajuste no salário e no ticket alimentação aos rodoviários. Isso é matemática. Nós, inclusive, já vínhamos comunicando à prefeitura que o serviço não iria se sustentar dessa forma, disse Amâncio, frisando que, por exemplo, foi concedido 10% de reajuste salarial e 20% nos tickets mesmo sem o reajuste da tarifa.

 

Infelizmente o caos já atingiu a primeira empresa e eu acredito que, se não tomarem uma posição mais enérgica, atingirá as demais empresas também. O certo é que as empresas tenham até o dia 30 os recursos necessários para pagarem os funcionários, mas infelizmente isso não aconteceu. Precisamos que o poder público que foi o pivô dessa situação tome uma providência. Do jeito que está o setor não se sustenta, alertou Amâncio. O superintendente afirmou ainda que, ao logo dos anos, principalmente na última gestão da prefeitura, o reajuste da tarifa tem sido muito mais político que técnica. Se assim não fosse, as empresas não estariam atrás de empréstimos de bancos e mais bancos para conter as despesas, reclamou ele. 

 

O superintendente lembra que o prefeito havia prometido reajustar a tarifa após a licitação, no entanto, por não ter colocado ainda o processo licitatório em vigor a prefeitura acabou desestabilizando as empresas. Apresentaram um projeto com irregularidades e a agora nem foi revista a licitação nem a tarifa. As empresas continuam trabalhando na expectativa de que o prefeito atual se sensibilize e conceda o reajuste adequado em equilíbrio com a planilha de custo, disse ele.

 

Segundo o superintendente, outro fator que implica no desequilíbrio financeiro das empresas é o volume de impostos que as empresas pagam para a prestação do serviço público.  Entre os destaques estão o pagamento da taxa de gerenciamento à Prefeitura de Aracaju e o alto imposto sobre o combustível diesel. Afirmar hoje que a tarifa cobre as despesas das empresas com o serviço é uma mentira. Os impostos pagos pelas empresas já são pagos com dificuldade. E os ajustes e pagamentos internos, manutenção, compra de equipamentos e de ônibus são feitos através de endividamento, disse José Carlos Amâncio, considerando que a discussão pelo poder público sobre a desoneração do custo do serviço do transporte está estagnada.

 

Mesmo diante da realidade, as empresas VCA e a São Cristóvão depositaram o pagamento dos salários que estavam programados para esta quarta-feira, quinto dia útil do mês, bem como das férias que estavam em atraso. Compreendemos a reivindicação dos trabalhadores, que é justa. Eles fizeram uma paralisação ordeira, mas apelamos para a compreensão deles para que, diante do anúncio das empresas de efetuarem os pagamentos ainda hoje, encerrassem a paralisação para que o serviço à população volte à normalidade, disse Amâncio. A paralisação dos rodoviários foi suspensa por volta das 12h30.
 

 

Os comentários estão encerrados.