Setransp cobra habilidade do Sinttra para evitar transtorno com greve

Empresas se solidarizam por vítimas de acidente no trânsito
3 de abril de 2012
Domingo de Páscoa com muito futebol
9 de abril de 2012

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju -Setransp -, na pessoa do seu superintendente José Carlos Amâncio, cobrou habilidade dos dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário – Sinttra – no que se refere à conscientização da classe quanto às negociações para o reajuste salarial da categoria.

Segundo Amâncio, “apesar de viver um momento de fragilidade provocado pelo congelamento da tarifa de ônibus, as empresas ofereceram um reajuste salarial de 10% (6% em março e 4% em setembro) e ainda o aumento de R$ 250 para R$ 280 no vale alimentação, além da manutenção gratuita do plano de saúde que sofreu também reajuste de 10%. Um fato histórico já que, 40% do valor da tarifa são destinados à remuneração dos profissionais, e este ano não houve reajuste”, disse Amâncio.

“É preciso uma postura de líder dos dirigentes do Sinttra para mostrar aos rodoviários os esforços das empresas de transporte de Aracaju para valorizar o profissional e evitar que a população seja prejudicada com uma greve”, cobrou Amâncio. Para o superintendente, a possibilidade de entendimento com Sinttra é muito provável, tendo em vista que, esse ano, a proposta do Setransp é maior do que a oferecida em outras realidades.

“Normalmente o reajuste equivale ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acrescido de 1%. Por esse motivo, no ano passado, o reajuste foi de 6%. Então, há uma tranquilidade para um acordo com os rodoviários agora. Mas, infelizmente, parece que uma minoria da classe, insatisfeita com o sistema, acaba infestando o pensamento de greve”, considerou Amâncio.

O superintendente afirma ainda que o salário médio dos rodoviários nas capitais do Nordeste é de R$ 1.231,99. E em Aracaju, sendo firmado o acordo com o Setransp, o salário do rodoviário passará a ser R$ 1.628,06. “Pelo que está sendo discutido com o Sinttra, o único impasse foi o fato de os rodoviários quererem o reajuste de 10% de uma só vez e ainda o vale alimentação em R$ 300. Mas até essa questão tem sido ponderada pelo Sinttra, considerando que é notório que as empresas de ônibus enfrentam um momento difícil. Mesmo assim não estão se abstendo das negociações. Acredito que o Sinttra vai rever esse ofício n° 57/2012 que nos foi enviado comunicando a decisão de greve a partir do dia 10, que vai certamente prejudicar todos os demais trabalhadores, estudantes e a população em geral”, disse ele.  

Os comentários estão encerrados.