De ônibus ou de carro, vias com BRS andam bem

Posto do IFS reabre dia 26
13 de março de 2012
Mobilidade urbana: desafios do transporte
15 de março de 2012

Com a utilização das faixas seletivas na Zona Sul e no Centro, os ônibus já estão levando praticamente o mesmo tempo dos carros para percorrer alguns dos principais corredores da cidade. O GLOBO testou ontem de manhã os trechos onde foram implantados os sistemas de BRS, comparando os tempos de viagem entre ônibus e carro. Em três dos seis corredores, o transporte público foi mais rápido. O carro chegou na frente em dois deles. Já no BRS da Avenida Rio Branco, deu empate.

O melhor resultado do ônibus aconteceu no BRS das Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Princesa Isabel: 16 minutos(das 9h04m às 9h20m). O mesmo trecho foi feito em 21 minutos pelo carro (das 9h04m às 9h25m).

O BRS que liga a Rua Prudente Moraes, em Ipanema, à Avenida General San Martin, no Leblon, também colocou o transporte coletivo na dianteira. Neste trecho a diferença foi de três minutos: o ônibus fez em sete minutos (10h07m às 10h14m) e o carro em 11 minutos (10h07m às 10h18m).

A mesma diferença aconteceu no corredor da Avenida Presidente Antônio Carlos- Primeiro de Março, no Centro. O ônibus percorreu em dois minutos (das 11h34m às 11h36m) – sem fazer qualquer parada. O carro levou cinco minutos (11h34m às 11h39m).

Em outros dois casos, o carro superou o ônibus – num deles quando percorreu da Rua Barata Ribeiro até a Raul Pompeia, também em Copacabana, em 12 minutos (das 9h37m às 9h49m). Já o ônibus levou 14 minutos (9h37m às 9h51m).

O carro chegou antes também quando percorreu da Praça Antero de Quental, no Leblon, à Praça General Osório, em Ipanema. Mas a diferença foi de apenas um minuto. O trecho foi percorrido em 9 minutos pelo carro (8h33m às 8h42m) e em dez minutos pelo ônibus (8h33m às 8h43m).

Na Rio Branco, carro e ônibus percorreram o trecho entre o começo da via e a Cinelândia em apenas cinco minutos (das 12h22m às 12h27m).

Na Avenida Presidente Vargas, um teste feito na segunda-feira pelo GLOBO constatou que o ônibus pode levar quase o dobro do tempo do carro para ir da Leopoldina à Candelária. Foram 12 minutos para o ônibus e sete para o carro, mas o ônibus parou em quatro pontos.

Ontem, as câmeras que vigiam o BRS da Presidente Vargas começaram a multar os veículos que desrespeitam as faixas. Segundo a CET-Rio, um balanço das multas será divulgado dentro de uma semana.

Enquanto os motoristas ainda se adaptam ao BRS das pistas centrais da Avenida Presidente Vargas, a Secretaria Municipal de Transporte informou ontem que o início dos corredores nas pistas laterais ainda deve levar pelo menos mais um mês.

A ideia inicial era que todas as pistas tivessem o BRS cerca de 15 dias depois do início do novo sistema. Segundo a secretaria, serão realizados novos estudos técnicos na via antes que os novos corredores sejam implantados. O prazo de um mês também será utilizado para possíveis adaptações no sistema.

Fonte: O Globo

Os comentários estão encerrados.