NTU manifesta preocupação com transporte público

SETRANSP altera horário nos dias 15 e 25 de junho
5 de julho de 2010
Adierson Monteiro realiza palestra na Fanese
5 de julho de 2010

Mobilidade. Este é o maior problema dos sistemas de transporte de todas as cidades brasileiras com população acima de 500 mil habitantes. A observação foi feita pelo presidente da Associação Nacional de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Vieira da Cunha Filho, na última quinta-feira, dia 10, durante o 10º Encontro de Boas Práticas realizado na Estação Cabo Branco, em João Pessoa, que foi realizado em parceria com a AETC-JP.

Segundo o presidente da NTU, os congestionamentos vêm colocando em xeque a mobilidade do transporte público. Para ele, a falta de investimento do poder público em planejamento viário é a principal causa do problema, sendo o Sistema BRT (Transporte Rápido por Ônibus) uma de suas soluções. A capital paraibana, também já sofre com os congestionamentos e busca soluções para resolver esse problema. No parque Sólon de Lucena, no centro da cidade, já é possível visualizar um esboço do sistema BRT, que consiste em corredores exclusivos para o tráfego de ônibus.

“Com os congestionamentos, o sistema de transporte público perde mobilidade. Tudo fica parado e o problema maior é a falta de planejamento viário, visto que a frota de veículos das cidades aumentou vertiginosamente nesses últimos vinte anos”, disse o presidente da NTU, Otávio Vieira, citando o exemplo de Olinda (PE), em que a cidade não foi planejada para comportar o tráfego de veículos.

“Temos diversos exemplos de falta de planejamento. Olinda é um deles”, destacou Otávio, num dos intervalos do evento da NTU que além da palestra da consultora e especialista na área motivacional, Leila Navarro, sobre “Gestão de Pessoas em empresas modernas”, teve a apresentação de casos de sucesso relativos a projetos exitosos inplementados por empresas de Fortaleza, Santa Maria e Salvador.

Para ele, o sistema BRT trará diversas vantagens aos usuários, segundo ele, até mais que o próprio veículo individual. “O sistema BRT solucionará não só os problemas relacionados ao tempo de espera de ônibus, visto que dará mais velocidade ao tráfego, ele será o único que terá mobilidade, enquanto os carros continuarão parados”, disse Otávio, ressaltando ainda que até a segurança do passageiro será maior, tendo em vista que até o embarque do usuário será mais rápido.

Sobre o transporte público de João Pessoa, o presidente da NTU confirmou que ele é um dos melhores do país e citou a parceira das empresas de transporte da capital paraibana com a prefeitura de João pessoa, com destaque para o planejamento do tráfego no Parque Sólon de Lucena. “João Pessoa tem um dos melhores sistemas do país e observamos que ele já está se adiantando aos problemas que podem vir no futuro, visto que a cidade já começa a sentir os impactos dos primeiros congestionamentos”, disse ele, destacando a visão empreendedora dos empresários de transporte local.

“Além das empresas estarem unidas em prol do desenvolvimento da cidade, elas também estão trabalhando em parceria com a prefeitura local e já colocaram em ação um esboço do sistema BRT no Parque Sólon de Lucena”, observa Otávio, dizendo ainda que o próximo passo é implementar o projeto no restante da cidade.

“O próximo passo para João Pessoa é justamente esse. Aqui já tem sistema integrado no centro da cidade, sistema integrado temporal, bilhetagem eletrônica, todos os investimentos necessários, sem contar a parceria com o poder público”, destacou o presidente da NTU, lembrando que no PAC já estão incluídos 20 projetos de implantação do sistema BRT e que esta é a tendência do transporte público brasileiro. “Precisamos dos recursos do governo federal para investir no sistema e dar a ele mais mobilidade”, finaliza o presidente, acrescentando que a NTU não só acredita nesse sistema como também o defende para melhorar a qualidade de vida em geral.

Sobre o BRT

Com corredores exclusivos e veículos de alta tecnologia, capacidade e conforto, o BRT é uma opção de transporte diferenciado, livre de congestionamentos e que comprova que o uso do sistema público é melhor que o carro. O modelo surgiu em Curitiba nos anos 70 e foi exportado para todo o mundo. Hoje é sucesso em 80 países.

Fonte: PB News

Os comentários estão encerrados.

ATENÇÃO!!!

Clique aqui para acessar o site da Aracajucard