SETRANSP participa de seminário da NTU em Brasília

Festa comemora um ano de bilhetagem eletrônica
20 de agosto de 2008
Venda de vales em papel começou a ser suspensa
25 de agosto de 2008

Nos dias 19 e 20 de agosto, 114 empresas do setor de transporte público, 43 órgãos públicos de 22 estados brasileiros reuniram-se em Brasília para participar de mais um seminário da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano ? NTU. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju ? SETRANSP ? marcou presença no evento com o comparecimento de Adierson Carneiro Monteiro, presidente do SETRANSP; José Carlos Amâncio, superintendente do SETRANSP; a gerente de Gestão de Pessoas da Viação Progresso, Vanessa Mitidieri; a diretora do Sest/Senat, Danielle Queiroz; e a coordenadora de Comunicação do SETRANSP, Alessandra Franco.

 

Durante os dois dias do evento, foram discutidos temas relativos à mobilidade urbana envolvendo tecnologia, transporte clandestino, gratuidades, incentivos fiscais e o papel da comunicação e do marketing na promoção do ônibus urbano. Já na abertura do seminário, o ministro das Cidades, Márcio Fortes defendeu a realização de vistorias criteriosas nos ônibus, um constante trabalho de formação de condutores, a criação de corredores exclusivos para ônibus, uma melhor sinalização das vias, a integração das políticas urbanas e a instalação de placas eletrônicas capazes de identificar a existência de veículos clonados, assim como a origem e destino dos carros que circulam pelas vias públicas.

 

Após esse primeiro momento, o evento seguiu com a realização do painel ?A crise da mobilidade urbana: causas e soluções?. Entre os debatedores estavam Ângela Amim, deputada federal e presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados; e João Paulo Lima e Silva, prefeito de Recife e presidente da Frente Nacional de Prefeitos, que falou sobre a bem sucedida experiência de exterminar o transporte clandestino na capital de Pernambuco.

 

?Mais de oito mil carros circulavam irregularmente pela cidade. Foi uma verdadeira guerra tirá-los de circulação. Precisamos fazer muito investimento, de apoio policial e de um forte amparo político?, disse ele. Apesar das imensas dificuldades para atingir o objetivo, João Paulo foi categórico em afirmar que ?os desafios são grandes, mas há sim soluções para o problema?.

 

Hoje, graças ao seu pulso firme e o amparo legal alcançado, o trânsito de Recife está livre do transporte clandestino. ?Se essa ação não tivesse sido realizada, o trânsito da cidade estaria um verdadeiro caos agora?, afirma o prefeito que assumiu o risco de ganhar impopularidade e de não se reeleger em prol da moralização do transporte coletivo da cidade. Atualmente, no fim do seu segundo mandato, João Paulo orgulha-se em dizer que conquistou o reconhecimento social. ?Vou deixar o Governo achando que fiz um bom trabalho?, declarou ele.

 

Outro bom exemplo na área de transportes veio de Ângela Amim, ex-prefeita de Florianópolis por dois mandatos. Na sua exposição, a deputada falou do processo de implantação do sistema de integração no transporte coletivo na capital de Santa Catarina. ?Por ter sido feito sem qualquer apoio do Governo estadual, foi uma experiência bastante traumática?, declarou ela defendendo o fim das gratuidades e o fim dos privilégios para o carro particular no Brasil. Sua experiência na adoção de medidas preventivas para evitar a instalação do transporte clandestino também chamou a atenção dos presentes.

 

Ainda foram discutidas as causas e as soluções para a crise da mobilidade urbana, a Pesquisa NTU sobre Sistemas de Ônibus Urbanos das Cidades Brasileiras, os sistemas inteligentes de transportes, o reflexo do Fator Acidentário Previdenciário ? FAP – nos custos das empresas e as novas regras das concessões de serviços públicos.

 

Fazendo um balanço do seminário, o vice-presidente da NTU, Eurico Divon Galhardi, afirmou que o evento cumpriu seu objetivo. ?Não fizemos o ótimo, fizemos o bom. Mas, não nos faltou garra de apanhar o ?tapete no chão e nos cobrir no frio?. Fizemos um trabalho positivo, de respeito, e debates com diversos segmentos da sociedade?, declarou ele.

Os comentários estão encerrados.