Empresários e trabalhadores do transporte chegam a consenso sobre reajuste salarial

Aracaju pode ficar sem ônibus a partir do dia 24
14 de março de 2008
Dia 28 termina o prazo de recadastramento do Mais Aracaju escolar
25 de março de 2008

Reunião ocorreu na tarde de ontem, dia 18, no Ministério Público do Trabalho

Preocupados em evitar uma anunciada greve dos ônibus, no dia 24 deste mês, os empresários do setor de transporte coletivo do município de Aracaju chegaram a um entendimento com o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju ? Sinttra. A audiência ocorreu na tarde de ontem, dia 18, no Ministério Público do Trabalho, e foi mediada pelo procurador Manoel Adroaldo Bispo.

Representando a classe patronal, a advogada Célia Andrade iniciou a negociação oferecendo um reajuste salarial de 5,4%, percentual que acompanha o crescimento do Índice Nacional de Preço ao Consumidor – INPC. ?Mais que isso, os empresários não têm condições de dar?, afirmou ela lembrando que, há três anos, a Prefeitura de Aracaju não contempla, no reajuste das tarifas dos ônibus, a reposição salarial dos empregados do setor.

Desse modo, os empresários que, este ano, tiveram apenas 6% de acréscimo no valor das passagens – a despeito de amargarem uma defasagem de 18% na tarifa -, terão que arcar com os custos do reajuste integralmente. ?O trabalhador merece muito mais, porém, dadas as condições, é muito bom o fato dos patrões estarem dispostos a oferecer um percentual que acompanha a inflação do período?, argumenta ela.

Reconhecendo a impossibilidade dos empresários em atender a solicitação da categoria, que pretendia um reajuste de 15%, João Batista dos Santos, presidente do Sinttra, apresentou uma contraposta que foi aceita pelos empresários. Ao invés de 5,4%, os rodoviários terão um reajuste salarial de 5%. Em contrapartida, o ticket alimentação terá um acréscimo de 18,75%. De acordo com esses novos percentuais, o salário de um motorista passará de R$ 948,00 para R$ 996,06, e os tickets, de R$ 160,00 para R$ 190,00.

Já afastando a possibilidade de uma paralisação das atividades, João informou que levará a proposta a assembléia da categoria apenas para que o percentual seja referendado pela maioria dos integrantes do sindicato. De antemão, porém, o acordo já foi firmado. ?Não foi o que pretendíamos, mas entendemos as dificuldades das empresas que tiveram que engolir um reajuste de apenas R$ 0,10 no valor das passagens dos ônibus que circulam no município de Aracaju. O curioso é que a Prefeitura não contempla os rodoviários na fixação do reajuste, mas concede 11% de aumento no valor da bandeirada dos taxistas?, declara ele.

 

Os comentários estão encerrados.

ATENÇÃO!!!

Clique aqui para acessar o site da Aracajucard