Vales-transporte serão cancelados – Matéria do Site infonet.com.br
13 de agosto de 2004
Série 33
24 de agosto de 2004

ASSESSIBILIDADE E CIDADANIA PARA TODOS

Foi realizado hoje no Sest/Senat com o apoio e parceria da SMTT, SETRANSP, SEST/SENAT, SINTTRA, SEED, CEDPPD/SE, ADM, CIEP, APAE, APABB e ASS. LUZ DO SOL o 1º Seminário com Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência com motoristas e cobradores das empresas de transporte coletivo do município. Com objetivo de proporcionar capacitação e promover conhecimentos básicos para os profissionais da área de transporte público, visando o melhor atendimento às Pessoas Portadoras de Deficiência que utilizam o transporte coletivo para ter seus direitos garantidos como cidadãos, melhorando a qualidade de vida dos mesmos. De noite ou de dia, milhares de pessoas saem de suas casas, a caminho do trabalho, da escola ou à procura de companhia ou distração. Para que isso seja possível, precisamos de transporte coletivo eficiente, com profissionais bem treinados e preparados para conviver com pessoas que, por diferentes motivos, necessitam de atenção especial, como: crianças, idosos, mulheres grávidas e pessoas com deficiência. Um gesto simples, o apoio de um braço, uma mão solidária podem tornar mais fácil e seguro o ir e vir dessas pessoas. Vamos falar aqui apenas das pessoas com as deficiências que mais necessitam de auxilio nos meios de transportes, dando algumas ?dicas? para facilitar o reconhecimento das mesmas e da melhor maneira de ajudar a cada uma dessas pessoas. Como ajudar? Em geral, é fácil reconhecer uma pessoa com deficiência. Mas antes de qualquer coisa, pergunte se ela precisa de ajuda e como você pode ajudar. Deficiência Visual · Ao entrar, coloque a mão livre da pessoa cega no balaústre ou corrimão, posicionando-se atrás dela; · Dentro do ônibus, oriente a pessoa cega onde se segurar (balaústre ou corrimão superior); · Coloque a mão da pessoa cega no encosto do acento disponível; · Para sair o procedimento é igual, porem posicione-se à frente da pessoa cega. Deficiência Física · Não insista quando a pessoa se sentir apta para subir ou descer sem ajuda; · Coloque a cadeira paralela ao ônibus, freando a mesma; · Pergunte como levantar e transportar a pessoa. Cada um tem suas diferenças e maneiras; · É necessária a ajuda de duas pessoas, uma segurando no tronco (axilas), de costas para o degrau e a outra nas pernas (por baixo dos joelhos); · Para descer, o mesmo posicionamento, sendo que quem segura nas pernas desce primeiro. Quem usa muletas tem um ritmo próprio de caminhar. Só ajude se for solicitado. · Para subir posicione-se atrás da pessoa e, para descer, posicione-se à frente; · Deixe as muletas sempre ao alcance das mãos do deficiente; · Antes de colocar o ônibus em movimento, verifique se a pessoa com deficiência já está sentada; · Nas duas situações peça orientação a respeito do equipamento e tenha cuidado com o mesmo. É como se ele fizesse parte do corpo da pessoa. Deficiência Auditiva · Não se surpreenda se a pessoa surda o cumprimentar ou agradecer. Algumas pessoas surdas aprendem a falar. Deficiência Mental · Pergunte à pessoa com deficiência mental onde ela quer descer, caso esteja desacompanhada. Deficiência Cerebral · Espere a pessoa sentar antes de dar a partida. As pessoas com paralisia cerebral têm dificuldade em manter o equilíbrio. Muitas vezes deixamos de prestar ajuda a alguém pelo simples fato de não sabemos como fazer de não sabermos como fazer. O desconhecimento de recursos e possibilidades, a falta de conhecimento e ate mesmo a pressão do duro trabalho do dia-a-adia contribuem para isso. Gestos simples, pequenos cuidados e atenções podem fazer grande diferença na vida de uma pessoa com deficiência. Transportando-as com segurança, aceitando-as como seres humanos completos e capazes, você estará ajudando essas pessoas a estudarem, a irem em busca de um trabalho, de um caminho para uma vida melhor, onde os sonhos se tornem realidade. Nossa sociedade ainda carece de harmonia e cooperação. Governo, empresário e cidadãos têm de buscar juntos soluções para as dificuldades. Todos somos responsáveis e todos podemos fazer alguma coisa que torne mais fácil o caminho de alguém, lembrando sempre que o convívio humano é mais importante do que o próprio viver.

Os comentários estão encerrados.