Serviço de bilhetagem eletrônica desponta como aliado da segurança nos ônibus

Transporte público é mais uma fez penalizado com alta dos impostos
3 de outubro de 2015
Queda de passageiros do transporte público é notória, e pode atingir a economia do setor
9 de novembro de 2015

Serviço de bilhetagem eletrônica desponta como aliado da segurança nos ônibus

 

 Aquela espera impaciente para o pagamento da passagem que necessita de troco, a fila que se estende de pessoas em pé antes da catraca mesmo durante o tráfego e, sobretudo, a movimentação de dinheiro que seria um alvo de assaltos… Tudo isso se reduziria com um mecanismo muito prático: o uso da bilhetagem eletrônica nos ônibus. Um levantamento feito pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) mostra que 77% das cidades brasileiras com 50 mil habitantes ou mais já adotaram o pagamento de passagens de ônibus urbanos e metropolitanos pelo sistema de bilhetagem eletrônica. Entre elas estão Aracaju e as cidades que compõem sua região metropolitana, onde as empresas do transporte coletivo, apostando em uma ferramenta aliada à segurança nos ônibus, investiram mais R$ 15 milhões para sua implantação desde 2007.  

 

 

Basta encostar o cartão chipado no aparelho leitor da bilhetagem localizado próxima à catraca e a tarifa é contabilizada. A leitura é possível mesmo dentro de uma bolsa ou carteira. E o uso do cartão está estendido também aos portadores de gratuidades, como forma de conceder acesso a todo o veículo passando pela catraca do ônibus e ainda permitindo uma melhor mensuração da demanda de passageiros que circulam no transporte. Com o uso do cartão da bilhetagem eletrônica, que na capital sergipana chama-se cartão Mais Aracaju, o transporte público ganha na agilidade dos operadores a bordo, que requerem tempo para lidar com dinheiro, e na praticidade do acesso ao ônibus dos usuários à sua acomodação. Segundo a NTU, a adesão a essa bilhetagem influenciou também no tempo de embarque, onde de dez minutos passou a ser de 30 segundos.

 

 

Todavia, o maior forte do serviço de bilhetagem no coletivo está, realmente, na segurança. Na cidade de Cuiabá (MT), onde 94% das passagens são pagas através do cartão com leitor digital, a segurança pública apontou queda de 90% dos assaltos a ônibus. De semelhante modo, em Santos (SP) 82% dos assaltos foram reduzidos também por conta do uso dessa bilhetagem. A mesma vantagem de redução de assaltos se confere em cidades do Nordeste, um exemplo é Campina Grande (PB).  “Já fui assaltado andando de ônibus várias vezes, mas desde que foi implantado o sistema de bilhetagem eletrônica em Campina Grande não passei por esse tipo de insegurança”, disse o comerciante João Menezes, de 22 anos, que utiliza o transporte público para se deslocar diariamente ao centro de Campina Grande.

 

Atualmente, na Grande Aracaju, todos os funcionários do setor público e privado, que dispõem do direito ao beneficio do vale transporte, já utilizam o cartão Mais Aracaju. Da mesma forma, os portadores de gratuidades e estudantes também fazem uso do cartão. E, pelo que se observa, o caminho futuro é que toda população local que utiliza o transporte coletivo vem aderir também à praticidade da bilhetagem eletrônica, e, quem sabe, a movimentação de dinheiro nos ônibus possa ser extinta de fato.

 

Como adquirir 

 

O cartão Mais Aracaju é gratuito e existe formas particulares e práticas de adquiri-lo. Para aqueles que possuem vínculo empregatício, o cartão pode ser gerado através de solicitação do seu empregador via cadastramento no site da aracajucard.com.br (opção VT Web Client). Cartão sem vínculo empregatício também podem ser requeridos pelo próprio usuário no mesmo site. Para os estudantes, a requisição é feita de igual modo via aracajucard.com.br, com seu cadastramento particular na opção portal do usuário. Para os portadores de gratuidades, o cartão pode ser adquirido na sede da Aracajucard com autorização do órgão representativo da categoria ou comprovações afins requeridas.  Estudantes e os que possuem gratuidades totais necessitam efetuar o registro da identificação biométrica para o cadastro.

 

Já o cartão considerado avulso, pode ser adquirido por qualquer cidadão em um dos postos da Aracajucard na capital ou em sua sede. E se o usuário quiser obter um cartão personalizado, pode efetuar o cadastro via aracajucard.com.br na opção cartão Cidadania e gerar uma senha para dispor da compra de créditos on-line, consulta a saldos e extratos, e bloqueio de cartão em caso de perda ou roubo. Os créditos contidos em momento de extravio também podem ser resgatados mediante a solicitação de uma segunda via do cartão. Ao finalizar o procedimento de cadastro, o usuário inserido no sistema será orientado a retirar seu cartão na sede da Aracajucard.

 

Questionado a respeito, José Carlos Amancio, o diretor executivo da Aracajucard, empresa responsável pelo Cartão Mais Aracaju na capital, frisou: “diante dos investimentos já feitos ao longo dos anos para implantação e desenvolvimento da bilhetagem eletrônica e o resultado evolutivo para à segurança, as empresas de ônibus estão trabalhando na busca de mais investimentos para ampliação dos pontos eletrônicos de venda para que 100% da população possa aderir a bilhetagem”, pontuou o diretor.

Os comentários estão encerrados.